Me desculpa.

by - September 28, 2012

Ouvi essa música enquanto escrevia o texto.

Estou indo embora.

Há meses eu venho programando sair daqui. Há dias eu venho me perguntando se era isso que eu realmente queria. Vinha aquela angustia no peito, aquele vazio dentro do estomago. Eu morri de medo todos esses meses. Senti medo de você não entender, senti medo de você você me esquecer, de você simplesmente não entender que eu não te amava mais, mas que eu simplesmente queria voar. Voar pra longe do caos, pra longe dessa vida que eu não gosto. Eu achei que eu precisava mudar, e eu queria que você mudasse também, mas você já firmou suas raízes num lugar que não te pertence, e eu não quero fincar as minhas raízes aqui. Eu não sou daqui, não gosto das pessoas daqui, será que você não entende? 

Muitas e muitas vezes enquanto a gente passeava eu ficava pensando se era justo eu te deixar aqui, se era justo você ficar sozinha depois de tantos anos juntas. E no meio desses pensamentos eu me perguntava se era justo eu estar aqui com você, querendo estar em outro lugar. Se era justo ser feliz só de vez enquando, sendo que eu queria ser feliz sempre, e te fazer feliz. Eu te olhava, e tentava perceber se era justo eu fazer isso. Eu nunca soube se isso era realmente o que eu queria pra mim. Entenda: eu nunca soube de nada. Sabe, as pessoas estão morrendo, só nesse ano 2 pessoas morreram, o que esta acontecendo? Eu parei pra pensar, e daqui pra frente vai ser assim... 

Sabe o meu biza? Eu sei que ele não irá durar por muito tempo. Todos os velhos adoráveis que eu pude conhecer, eles estão indo embora... Minha avó esta na UTI há 1 semana, e eu não vejo ela há anos. As vezes me culpo por ter me distanciado tanto... E quando a morte chega é que a gente vê quanto tempo nós perdemos achando que temos todo o tempo do mundo. Eu sempre adiei pra mês que vem, pra ano que vem. Eu queria, queria ir embora. Mas o meu grande desejo é ir visitar todos aqueles que eu não veja há anos, e que talvez eu possa não ver nunca mais.

Sabe, eu sei que você entende, eu sei que o coração de todos nós esta cheio de ódio e de rancor do nosso passado, e que é difícil olhar ao próximo com piedade... Mas precisamos disso. Pelo amor de Deus ela pode morrer naquele hospital e a última lembrança que eu tenho dela é naquela festa em que tiramos foto e brigamos por que ela disse que você tinha deixado o filho dela na pior.

Eu só queria ter boas lembranças.

Eu sei que no fundo seu coração é quente, eu sei que no fundo você me entende. Pelo amor de Deus eu to aqui sem saber o que fazer, mas tudo o que eu queria era segurar a mão daquela velhota magrela e dizer que ainda me lembro daquele aniversário em que ela comprou aquele bolo horrível e que só 2 meninas foram. Ah, eu ainda me lembro de quando eu sentava lá naquele quarto gelado pra ouvir o disco do carequinha... daquele quarto pequeno... Daquela santa que tinha do lado de fora da casa com as pedras cinzas em volta. Você se lembra? 

Eu sinto muito.

Eu não pedi pra nada disso acontecer. Eu não pedi e você também não. Algumas pessoas simplesmente enlouquecem e ficam cegas em certos momentos da vida, e hoje eu sei disso. Porque não perdoar? Precisamos dar o perdão... E você sabe disso. É preciso perdoar. Eu queria segurar a mão dela e dizer que eu estava com saudade e me desculpar por ter sido tão ausente.

Sabe, eu não quero questionar o porque ela nunca me ligou no meu aniversário. Eu não quero questionar porque ela não fez coisas de avó quando pode, eu não quero questionar nada, eu só quero fazer a minha parte, eu só quero dizer como eu me sinto e provar que as pessoas ainda tem coração. Eu fecho os meus olhos, e eu sei que ela ainda tem aquela minha foto de quando pequena naquele armário vermelho na sala de jantar, eu espero que aquele velho retrato ainda esteja lá... Meu coração pede pra que ele esteja lá.

Eu sinto o cheiro daquela casa, eu me lembro daqueles guardanapos artesanais que ela fazia, me lembro daquele cabelo grisalho, daquela pele frágil e magra, daquele quarto dos fundos feitos de madeira. Do velho poço lá nos fundos... Como eu posso me lembrar? Já passaram tantos anos desde que eu fui a primeira vez pra lá.

Meu deus, acabaram de me pegar chorando no meio do trabalho escrevendo esse texto, como eu vou explicar? Olha, eu sei que tudo isso vai passar e que no fim tudo pode ficar bem, mas tudo o que eu queria era poder segurar a mão daquela velhota e dizer que eu não a esqueci. Eu pensei em escrever uma carta, em dizer varias coisas, mas a verdade é que nada vai preencher esse vazio.




Nada.

Você entende? Eu sei que no fundo você entende. Eu só queria contar com você, eu só queria que você me apoiasse e disesse: vai, esse é o caminho certo, tenho orgulho de você. Eu sempre esperei por isso. Eu sempre esperei ouvir você dizer que sente orgulho. Não quero que os outros digam o que você disse sobre mim, na verdade eu queria receber os elogios da sua própria boca, olhando nos olhos. O tempo esta passando, e tudo o que eu mais queria é que você arriscasse ser feliz, porque eu vou fazer isso, custe o que custar. Não importa se eu vou quebrar a minha cara, o importante é contar que eu não tive medo de tentar arriscar na vida. 

Tente ser feliz por você... esse tempo não voltará jamais.

You May Also Like

0 comments

Obrigada pela visita :)